Miguel Diáz o novo presidente eleito pela Assembleia Nacional do Poder Popular de Cuba

19/04/2018
Irene Pérez/ Cubadebate Miguel Diáz o novo presidente eleito pela Assembleia Nacional do Poder Popular de Cuba Raúl Castro com Miguel Diáz, eleito hoje (19) com 603 dos 604 votos da nona Legislatura da Assembléia Nacional do Poder Popular

Miguel Díaz-Canel Bermúdez , proclamado o novo presidente de Cuba pelo Parlamento do país nesta quinta-feira (19), é considerado pelos cubanos  "el hombre", por sua proximidade com o povo, pelo impacto deixado no período como primeiro secretário do partido na região de Villa Clara e pela sua ativa presença como vice-presidente no trabalho após furacões como o Matthew, em 2016.

Diáz sucederá Raúl Castro, há 12 anos no comando de Cuba, após a saíde do comandante Fidel Castro, num total de seis décadas  Tudo isso, porém, seria parte da estratégia de Raúl Castro para estabelecê-lo como o candidato "ideal" à frente do país que, pela primeira vez em quase seis décadas, não terá um presidente com o sobrenome Castro.

Essa escolha se confirmou quando, nas eleições gerais mais recentes da Assembleia Nacional, Díaz-Canel obteve 92,85% dos votos ao cargo de deputado. Foi somente superado pelo próprio Raúl, que foi eleito deputado por 98,77% dos delegados.
 

No interior da ilha, aqueles que seguem a linha de reformar o socialismo cubano a partir das instituições políticas apostam em Díaz-Canel como o "homem da mudança". Raúl Castro continuará à frente do Partido Comunista até 2021. O partido governista é o órgão que rege a sociedade cubana, segundo está estabelecido pela Constituição.

No plano militar, o controle ssegue com Alejandro Castro Espín, filho de Raúl Castro, sobre o setor e sobre os serviços de inteligência e segurança nacional.  Díaz  vem demonstrando estar disposto a servir à revolução com uma fidelidade absoluta.

Seus 57 anos, seu porte atlético e sua proximidade com o povo fazem com que muitos cubanos digam desse ex-professor universitário que ele "é um cara bacana"; que "até toma uns goles de rum com o pessoal simples do povo"; e até que, no contexto das últimas tendências esportivas em Cuba, "foi quem decidiu transmitir as partidas de futebol ao vivo na televisão" e que é "torcedor fanático" do Barcelona.

Raúl Castro deixa a presidência nesta quinta-feira, 19 de abril, data histórica para a ilha – pois foi este o dia da derrota dos EUA na fracassada invasão da Baía dos Porcos, em 1961. O acontecimento é considerado, pelo governo cubano, "a primeira derrota do imperialismo na América".

Mas a data também deverá ser histórica para Díaz, que completa 58 anos nesta sexta-feira (20/04), dia em que já acordará como o primeiro presidente do que grande parte dos analistas políticos está chamando de "era neocastrista".

Figura estratégica no governo de Raúl Castro, Diáz exerceu suas funções como vice-presidente, cargo ao qual ascendeu por sua proximidade a Raúl numa carreira meteórica que o levou de segundo secretário da União de Jovens Comunistas, em 1990, a primeiro secretário do Partido nas províncias de Villa Clara (1994) e de Holguín (2003). Dali, passou a ministro da Educação Superior em 2009 e à vice-presidência de Cuba em 2013.

Sua atuação e seus discursos dos últimos tempos mostram as metas de Díaz-Canel como futuro presidente deverão ser manter a mão de ferro a tática de enfrentamento com os EUA que caracterizou o mandato de Fidel Castro.

Os resultados

Miguel Diaz Canel Mario, 57, foi eleito Presidente do Conselho de Estado da República de Cuba pela recém-formada Assembleia Nacional do Poder Popular em sua 9ª Legislatura. Diaz-Canel obteve 603 votos de 604 possíveis, o equivalente a 99,83%.
 
Os membros do parlamento elegeram Salvador Valdés Mesa, 72 anos, como primeiro vice-presidente, que até então era vice-presidente do Conselho de Estado, depois de ter exercido importantes responsabilidades partidárias e sindicais.
 
O órgão máximo de poder do Estado cubano também elegeu, por voto secreto e diretamente para cinco vice-presidentes, o secretário e 23 membros do Conselho de Estado, dos quais 11 de nova eleição e 15 mulheres. Vice-ocupam Ramiro Valdés Menéndez, Roberto Tomas Morales Ojeda, Maria Gladys Bejerano Portela, Ines Maria Chapman Waugh e Beatriz Urrutia Jhonson. Homero Acosta foi reeleito como Secretário.
 
Os restantes 23 membros do Conselho de Estado representam a geração histórica, os líderes estaduais, levando quadros da UJC e das organizações de massas, representantes dos órgãos do Poder Popular, líderes empresariais, cientistas, atletas e intelectuais.
 

Quem é  Miguel Mario Díaz-Canel Bermúdez

Eleito presidente do Conselho de Estado e do Conselho de Ministros
Adjunto do Município: Santa Clara
Data de Nascimento: 20 de abril de 1960
Primeiro vice-presidente do Conselho de Estado e de Ministros.
Membro do Birô Político do Partido Comunista de Cuba.
Engenheiro Eletrônico e Mestre em Gestão.
Foi Primeiro Secretário da UJC em Villa Clara e Segundo Secretário do Comitê Nacional da própria organização. Ele serviu como primeiro secretário do PCC nas províncias de Villa Clara e Holguín. Nomeado Ministro do Ensino Superior em 2009 e em 2012 Vice-Presidente do Conselho de Ministros. Vanguarda da Defesa Antiaérea e Força Aérea Revolucionária (DAAFAR), Cooperadora Internacionalista.
 
Com informações do portal go govenro cubano e da Prensa Latina (agência cubana de notícias)