Ele derrotou o peleguismo e transformou o Sindicato dos Bancários, diz Lula

18/07/2017
Reprodução site Instituto Lula Ele derrotou o peleguismo e transformou o Sindicato dos Bancários, diz Lula Líderes à mesa: Lula e Campos, respectivamente então presidentes dos Metalúrgicos do ABC e fos Bancários de São Paulo

Abaixo trechos de falas e notas oficiais de algumas das várias lideranças sindicais e políticas em homenagem a Augusto Campos

Lula

“Augusto Campos foi e continua sendo um companheiro inesquecível de lutas. Tive o prazer de ser presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC quando ele, depois de nove anos na oposição sindical, derrotou o peleguismo e foi eleito presidente do Sindicato dos Bancários, entidade que transformou. Sua liderança deixou um legado não somente para a categoria dos bancários, mas ajudou a fortalecer a luta dos trabalhadores de todo país. Depois do sindicato, participou da fundação da CUT e do PT. Augusto Campos jamais será esquecido”.

 

Vagner Freitas, presidente da CUT Nacional
“Morreu meu guru, meu modelo, minha referência sindical. Augusto Campos respeitava as divergências e diferenças, era extremamente democrático, amigo, companheiro. Amizade para ele era estar a disposição do outro o tempo todo. Vá em paz, grande mestre!”
 

CUT Nacional
“A Central Única dos Trabalhadores de São Paulo lamenta o falecimento do companheiro Augusto Campos nesta terça, 18. Ele estava internado no Hospital 9 de Julho, na capital paulista, e lutava contra um câncer no fígado. Sua luta, agora, está eternizada e seguirá inspirando a classe trabalhadora, sobretudo neste momento que exige muita resistência. Aos familiares e amigos, a CUT-SP estende sua solidariedade.”

CUT-SP
“A Central Única dos Trabalhadores de São Paulo lamenta o falecimento do companheiro. Sua luta, agora, está eternizada e seguirá inspirando a classe trabalhadora, sobretudo neste momento que exige muita resistência. Aos familiares e amigos, a CUT-SP estende sua solidariedade.”

 

Contraf-CUT
A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro lamenta profundamente a morte de Augusto Campos, um dos maiores responsáveis pela Oposição Bancária. Foi o primeiro presidente do Seeb/SP, de 1979 a 1985, após a retomada do Sindicato dos Bancários de São Paulo, que estava nas mãos dos pelegos indicados pela ditadura militar. Responsável também pela criação da Federação dos Bancários da CUT de São Paulo e da própria Contraf”.
 

Ricardo Berzoini, ex-presidente do Seeb ( 1994 e 2000), ex-ministro  e ex-deputado federal
“Augusto foi decisivo para renovar a estrutura sindical com a criação da Fetec-CUT/SP, no final dos ano 1980. A Fetec quebrou, junto com a Confederação Nacional dos Bancários [hoje Contraf-CUT], a estrutura sindical da pelegada. Ele trouxe uma nova cultura dentro da categoria de investir na luta e organização de base, e estimulou os sindicatos a atuarem além da relação capital e trabalho, participando das discussões que envolvem as comunidades e a sociedade”
 

Gilmar Carneiro (em seu blog) 
“Augusto passou para o outro lado. Fez a passagem...O "Veio do Rio" morreu nesta manhã de frio e garoa. Mais um companheiro de lutas e de alegrias se foi. Como foi o Gushi e o Nelson Silva...Eu estou emocionalmente abalado e impossibilitado de escrever coisas belas (...) Augusto foi a pessoa mais importante no sindicalismo bancário desde a década de setenta. Não vou citar aqui tudo que o Augusto fez. Isso fica para depois...Neste momento, o mais importante é o que Augusto significou para todos nós. Um guru, uma pessoa que tinha como missão de vida contribuir  para a formação da consciência de classe dos trabalhadores.” Um dia de luto e de lágrimas...


Juvandia Moreira, vice-presidente da Contraf (ex-presidenta do Sindicato dos Bancários de SP)
“Partiu para o plano espiritual o Companheiro Augusto Campos, que estava internado na UTI do Hospital 9 de julho (SP). Grande companheiro, líder dos bancários e bancárias e da esquerda, ajudou a construir a nossa organização, que culminou na Convenção Coletiva Nacional; a criar o PT e a CUT. Obrigada companheiro. Augusto Campos, Véio do Rio, presente!!!”


Ivone Silva, presidenta recém-empossada do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região
“Um grande líder, homem de luta que dedicou sua vida em defesa dos trabalhadores. Seu legado entra para a história do Sindicato como um exemplo a ser seguido de coragem, respeito e determinação. Seu comprometimento com os trabalhadores fez com que, durante a ditadura militar, mudasse a forma de fazer sindicalismo, unindo os trabalhadores e inaugurando uma nova forma de negociar com os banqueiros, sem que a Justiça interviesse nas negociações, com greves combativas e assembleias fortes. Foi um defensor da liberdade e um grande líder na defesa dos trabalhadores.”
 

Aline Molina, presidente da FETEC-SP (em rede social)
“As melhores palavras que encontrei”, ao reproduzir em seu Facebook a nota oficial do ex-presidente Lula
FETEC-SP
“O movimento sindical está de luto. Perdemos nesta terça-feira (18) nosso amigo e companheiro de muitas lutas Augusto Campos. Ele foi um dos fundadores da Federação dos Bancários da CUT-SP (FETEC-CUT/SP) e presidiu o Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região entre 1979 a 1985 e lutou durante a ditadura militar para o fortalecimento e retomada do Sindicato; manteve-se sempre ao lado dos trabalhadores em busca de conquistas para a categoria. Campos sempre foi combativo e esteve à frente da entidade durante a intervenção do Sindicato e prisões dos trabalhadores nos anos de chumbo. Foi pioneiro e criou uma nova forma de fazer sindicalismo dentro da entidade, com a mobilização dos bancários nas greves e negociação com os bancos.
 

Luiz Azevedo, ex-dirigente bancário contemporâneo de Campos
 “Definir o Augusto é uma missão impossível. Acho que ele foi, antes de tudo, um grande educador e organizador. Quando você levava um problema pro Augusto, depois da conversa você descobria que sabia como resolvê-lo, só não sabia que já tinha a solução. Ele te levava a pensar. Augusto sempre defendeu que a negociação fosse coletiva e falava sobre seu papel estratégico, ao explicitar um conflito e revelar a correlação de forças.”

 

PT/Gleisi Hoffmann, presidenta nacional
O Partido dos Trabalhadores lamenta o falecimento do companheiro sindicalista Augusto Campos, ocorrido nesta terça (18). Antônio Augusto de Oliveira Campos era bancário e foi um dos responsáveis pelo movimento conhecido como Novo Sindicalismo, no final dos anos 1970, quando os trabalhadores desafiaram a Ditadura Militar e puseram fim à submissão dos sindicatos ao governo autoritário. Augusto Campos contribuiu ativamente para a fundação da CUT e do Partido dos Trabalhadores, nos anos de 1980. Na CUT-SP foi secretário de Política Sindical de 1991 a 94 e secretário-Geral de 1994 a 97. O PT manifesta a sua solidariedade aos familiares, amigos e companheiros de jornada do combativo sindicalista.”

 

Bancada vereadores PT  de São Paulo
“Com pesar, a Bancada de Vereadores do PT de São Paulo recebeu a notícia do falecimento do ex-vereador (2001-2004) Augusto Campos, o Augustão, ex-presidente do Sindicato dos Bancários e fundador da CUT e do PT, vítima de um câncer no fígado. Militante da luta por direitos e contra a ditadura, liderou a maior greve da categoria, em 1978, ainda sob o regime dos militares, e conduziu a vitoriosa chapa de oposição bancária que retomou a entidade para os trabalhadores. Estendemos nossa solidariedade à família, aos amigos e companheiros de militância e desejamos que encontrem conforto em uma trajetória de vida que inspira luta e coragem naqueles que acreditam na democracia como um valor fundamental para o nosso País. Augusto Campos: presente!”


Fundação Perseu Abramo
"Augusto Campos, Presente. Morreu hoje, em São Paulo, Augusto Campos, uma das principais lideranças da oposição à direção do Sindicato dos Bancários no início dos anos 1970. O intenso trabalho junto com Luiz Gushiken, Gilmar Carneiro, Luizinho Azevedo, entre outros, levou à organização da categoria e à conquista do Sindicato no final daquela década. Augusto presidiu a entidade, foi fundador do PT e da CUT, eleito diretor representante dos funcionários do antigo Banespa e vereador pelo Partido dos Trabalhadores.”

 

 

Com informações da Seeb, Fetec, Contraf, IL