Operação caótica da PF e incompetência do governo Temer já prejudicam trabalhadores dos frigoríficos

22/03/2017
Reprodução Operação caótica da PF e incompetência do governo Temer já prejudicam trabalhadores dos frigoríficos

A BRF Brasil Foods concedeu nesta segunda-feira (21) férias coletivas para 1,7 mil trabalhadores da fabrica de Toledo, Região Oeste do Paraná. Segundo a empresa, a unidade passará por uma reforma, que deve durar aproximadamente 15 dias. Durante esse período, as atividades do frigorífico ficarão suspensas.

Segundo a empresa, as férias coletivas não têm relação com a Carne Fraca, operação da Polícia Federal que investiga se a BRF participava de um esquema de venda de carne adulterada mediante pagamentos de propina a fiscais agropecuários do Ministério da Agricultura. A empresa afirmou que a reforma já estava prevista há meses, antes da operação, com objetivo de modernizar a linha de produção de carne suína na fábrica de Toledo.

A BRF, dona das marcas Sadia e Perdigão, é uma das 21 empresas investigadas na Carne Fraca. O frigorífico de Mineiros, em Goiás, já foi interditado pelo Ministério da Agricultura. Ali, eram produzidas carne de frango e de peru, que segundo a empresa, respondem por menos de 5% da produção total da BRF.

A empresa também nega pagamentos de propina a fiscais do Ministério para a aprovação de carne estragada. Segundo a BRF, toda a carne exportada ou comercializada no mercado interno atende a todos os padrões sanitários e de qualidade previstos em lei.

Com informações das Agências de Notícias