Taxa de desemprego entre jovens da América Latina é até três vezes maior que entre adultos

26/10/2015

Redação

ONU Taxa de desemprego entre jovens da América Latina é até três vezes maior que entre adultos Maior desemprego e menos escolaridade: CEPAL afirma que quatro de cada dez jovens da AL não concluíram o ensino fundamental

Novo livro da CEPAL propõe políticas para inclusão social de jovens na América Latina

Na América Latina e no Caribe vivem cerca de 160 milhões de jovens entre 15 e 29 anos, um quarto dos habitantes da Região. A integração deste setor nos processos de desenvolvimento é fundamental para obter sociedades mais igualitárias, indicou a Comissão Econômica para América Latina e o Caribe (CEPAL) no livro “Juventude: Realidades e desafios para um desenvolvimento com igualdade”, lançado em seminário internacional em El Salvador, este mês.

No documento apresentado no seminário, a CEPAL defendeu uma política ampla. A inserção dos jovens atravessa a educação e o emprego, mas requer também ações a favor da saúde, participação política, acesso à tecnologia e cultura e contra a violência, destacou o organismo.

Segundo dados da CEPAL, quatro de cada dez jovens de 20 e 24 anos não concluíram o ensino fundamental e as taxas de desemprego são duas a três vezes maiores que as da população adulta.

Além disso, aproximadamente 30 milhões de jovens na região, cerca de 22% do total, não estudam ou trabalham remuneradamente. A maioria deles, em especial as mulheres, dedicam-se a trabalhos domésticos e ao cuidado de pessoas. O livro proporciona um panorama da situação dos jovens na região e propõe recomendações de políticas com um enfoque de direitos, tendo em conta a recente adoção da Agenda 2030 e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Com informações da Agência ONU e do CEPAL